Artigo

Lenda de S. Sebastião e Festa do Bodo

Conta a história que S. Sebastião salvou os habitantes de Janeiro de Cima de uma grave epidemia que assolou a aldeia em meados do século XVIII. Em forma de agradecimento todos os anos é celebrada a Festa do Bodo.

Reza a lenda que em meados do século XVIII, a população de Janeiro de Cima foi assolada por uma forte epidemia que causou inúmeras vítimas.

Os habitantes de Janeiro de Cima pediram emprestada a imagem de S. Sebastião, advogado das fomes, pestes e guerras, a Janeiro de Baixo. Os moradores desta aldeia, com receio de contágio, não permitiram a aproximação dos habitantes de Janeiro de Cima, mas na madrugada do dia seguinte atravessaram a imagem do seu santo numa barca e depositaram-na na outra margem do Zêzere regressando rapidamente à sua aldeia.

Como o santo terá ouvido as preces e afastado a epidemia, Janeiro de Cima cumpriu a sua promessa edificando-lhe uma capela com imagem. Este agradecimento perpetua-se anualmente com a Festa do Bodo, a 20 de janeiro. Na celebração, os mordomos contribuem para um bodo, de pão e vinho, que após ter simbolicamente percorrido em procissão as ruas da aldeia e subido ao monte da capela do santo, ali é servido a toda a comunidade.

Sugestões relacionadas com este artigo

Páginas

O que outros já partilharam

0 comentários